quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

O Yin, o Yang, as Cataratas do Iguaçu e você: um outro mundo é possível


As idéias que consagram as Cataratas do Iguaçu como um Lugar Sagrado estão maduras. Pessoas do mundo todo estão oferecendo jornadas, peregrinações, viagens e vivências especiais nas Cataratas do Iguaçu e em alguns poucos lugares do mundo. Os antigos chineses acreditavam no equilíbrio do YIN e YANG, os princípios feminino e masculino do Universo. Os hindus falam de Prakrit e Purusha, os mesmos princípios. Os Guaranis falam de Nhamandu Rú e Nhamandu Cy. 

As idéias que consagram as Cataratas do Iguaçu como Lugar Sagrado, são parte de uma “espiritualidade verde”, de uma “topofilia”, de uma “ecofilosofia” de uma “ecopedagogia”, palavras assim, hoje ainda escritas entre aspas às quais podermos sempre acrescentar a palavra “transpessoal”. A maioria das quais tem algo a ver ou estão ligadas àquele princípio YIN ou feminino do Universo. Coisas novas. Quer dizer não tanto novas quanto redescobertas. Re-valorizadas e muitas dessas palavras já se introduzem no mundo acadêmico.

O modo de vida em Foz do Iguaçu – seu turismo, seus projetos, tendências econômicas oficiais ou não – apresenta sinais visíveis de cansaço devido ao seu excesso de “YANG” ou princípio masculino. Isto gera desequilíbrio. As Cataratas (YIN) são tratadas como uma “coisa”, um atrativo, à disposição e à serviço destas forças carregadas de YANG. Do jeito que os homens tratam as mulheres. Do jeito que os homens tratam a Natureza. Do jeito como estamos tratando a Natureza. Daí o fracasso.
Mas apesar de nós, o mundo está enxergando as Cataratas YIN. Infelizmente, a Prefeitura, a Secretaria de Turismo, o Trade, o Parque Nacional estão excluídos desse processo. E para entrar nele terão que demonstrar qualidades YIN que hoje não estão disponíveis.

O Excesso de YANG aparece no diagnóstico de nossa doença cultural planetária. Sofremos uma doença cultural profunda. O problema tóxico é um exemplo. As drogas são um problema mundial. Estamos todos intoxicados: o Planeta está intoxicado pela poluição. As pessoas estão internamente intoxicadas pela droga na forma de maconha, cocaína, cigarro, café, açúcar refinado, álcool, antidepressivos, aspirina e o consumo. O ser humano tóxico, como destaca ... em seu livro “Espiritualidade Verde”, está vivendo em um planeta tóxico. A Terra também está drogada, está se sufocando por tóxicos na forma de poluição do ar, da água, do solo.

Os dois vícios da humanidade são a droga e o consumo. Se toma droga para negar uma situação. Se consome para negar uma situação. Estamos destruindo a terra e negamos. Não conseguimos ver as conexões entre nossas ações e seus resultados. As pessoas nascem e crescem dentro de um contexto de negação. Negamos tudo. Por isso consumimos e precisamos de droga. Não adianta o Governo dizer que vai combater a droga. O governo nega o problema da droga. Tem droga que o Governo libera pelo consumo. Cosumo que gera impostos. Os Governos são mais viciados que os drogados. Se nega que o consumo seja uma doença. A isso nos levou a negação. Tudo isso é um excesso das qualidades extremamente YANG que domina o mundo.

Nenhum comentário: